Teste Quantitativo Sudomotor Axonal Reflexo (QSART)


Introdução


O Teste Quantitativo Sudomotor Axonal Reflexo (QSART) é um teste para avaliar a integridade do sistema sudomotor pós-ganglionar e o reflexo axonal, de modo a definir a distribuição da perda de suor. Isto é conseguido através da libertação de acetilcolina na pele, a qual activa os receptores na glândula sudorípara écrina. A resposta sudorípara é registada em quatro locais (1 no antebraço e 3 nas extremidades inferiores) e procurados deficits.

O QSART é um teste que mede os nervos que controlam a transpiração. O teste é útil na avaliação de perturbações do sistema nervoso, neuropatias periféricas e de alguns tipos de perturbação de dor. O teste requer a estimulação eléctrica ligeira da pele, denominada iontoforese, que permite que a acetilcolina, uma substância química natural, estimule as glândulas sudoríparas. O QSART mede o volume de suor produzido por esta estimulação.

O QSART é utilizado para diagnosticar:

- Neuropatia dolorosa das pequenas fibras nervosas, quando os resultados dos testes de condução nervosa são normais
- Perturbações do sistema nervoso autónomo, que controla as glândulas sudoríparas, coração, sistema digestivo, outros órgãos e a pressão arterial
- Perturbações de dor complexas
- Neuropatias diabéticas
- Perturbações enzimáticas
- DRS (Distrofia Reflexo-Simpática, Síndrome de Dor Local Complexa)
- Disautonomia
- Agentes farmacêuticos
- Testes de Cosméticos/Bens de consumo
- Estudos dermatológicos
- Hipotensão Ortostática Neurológica (Síndrome de Shy-Drager)

Base Teórica E Métodos


O teste quantitativo sudomotor axonal reflexo (QSART) é desde 1983 um teste clínico de rotina da função sudomotora pós-ganglionar. O QSART é um teste destinado a avaliar a integridade dos axónios simpáticos pós-ganglionares. Nas áreas de teste locais, as células sudoríparas com vários compartimentos estão ligadas aos membros. Os terminais de axónios são estimulados pela iontoforese de acetilcolina (ACh) num compartimento, e a resposta de suor é gravada num compartimento separado. Normalmente são estudadas quatro regiões (uma no antebraço e três na perna).

A investigação funcional das fibras finas inclui testes subjectivos, como o teste sensorial quantitativo (QST), e métodos objectivos, como a medição da produção de suor. A linha de base da produção de suor e as respostas a estímulos químicos ou eléctricos localizados são representativas das funções dos neurónios simpáticos pós-ganglionares. A produção de suor pode ser analisada após a iontoforese de acetilcolina por meio de imagiologia de impressões de gotas de suor (Gibbons et al, 2008.), registando a área de reflexo axonal induzida da produção de suor (reacção iodo-amido (Schlereth et al., 2005; Namer et al., 2004; Riedl et al., 1998)), ou através da medição da produção total de suor dentro dessa área (teste quantitativo sudomotor axonal reflexo, QSART (Low et al, 1983.)). O QSART induzido por acetilcolina é bastante utilizado para avaliar clinicamente a função sudomotora deficiente na neuropatia de fibras finas (Singer et al., 2004). A estimulação química com acetilcolina é forte e bem tolerada pelos pacientes. Para a análise estrutural, a densidade da glândula sudorípara e das fibras nervosas quantificada em biopsias de pele é usada como uma ferramenta de diagnóstico da neuropatia diabética, por exemplo (Kennedy et al, 1996;. Gibbons et al, 2009). A excitabilidade axonal das fibras simpáticas seria outro parâmetro clínico útil, especialmente em doenças que envolvem os canais de sódio axonal, como a eritromelalgia (Waxman, 2007; Cummins et al., 2004), que também está ligada a respostas simpáticas anormais da pele (Kazemi et al., 2003).

Para poder avaliar a excitabilidade axonal e induzir a activação sudomotora e nociceptora combinada, foi utilizada estimulação eléctrica transdérmica. Deste modo, tanto a intensidade de suor axonal reflexo como a área do eritema axonal reflexo podem ser quantificadas (Namer et al., 2004). A medição das respostas dos reflexos axonais no eritema é utilizada essencialmente em condições estacionárias, e como tal requer vários minutos de estimulação eléctrica. Por conseguinte, a análise sistemática de funções estímulo-resposta da intensidade ou frequência de corrente seria problemática utilizando este protocolo estendido. Por conseguinte, avaliámos as respostas de suor transitórios e a dor à estimulação eléctrica com uma duração de 30 seg. Foram explorados perfis de activação e excitabilidade axonal diferencial e descritos funcionalmente para os neurónios sudomotores e nociceptores por meio da intensidade da corrente - e das curvas de resposta dependentes de frequência nos diferentes pontos do corpo.

Trata-se de um método sensível, reprodutível e quantitativo para testar a função sudomotora. Uma "célula de suor" plástica com múltiplos compartimentos está bem fixada à pele. O compartimento externo é preenchido com uma solução de acetilcolina, e o gás nitrogénio circula constantemente para um compartimento interno, através de um instrumento que mede a variação de humidade (medidor de suor). É aplicada corrente contínua e a água no interior do compartimento é medida continuamente, antes, durante e após o estímulo. O teste assenta na base de que o terminal do axónio da glândula sudorípara sob o compartimento externo é activado por iontoforese de acetilcolina; o impulso centrípeto viaja para um ponto da ramificação e daí para o terminal do axónio distal, por baixo do compartimento interno, onde a acetilcolina é libertada e a produção de suor ocorre. A utilização do termo "reflexo axonal" deve ser desencorajada porque o axónio simpático pós-ganglionar está envolvido nesta configuração. Com uma latência de 1 a 2 minutos após a indução do estímulo, a produção de suor aumenta rapidamente com a estimulação continua; e em 3 minutos depois de desligado o estimulador, a produção de suor volta à linha de base antes do estímulo. A área por baixo da curva representa a produção total de suor em microlitros por centímetro quadrado, e o valor normal varia de acordo com o local de teste, sexo e idade do sujeito. Membros distais, sujeitos do sexo masculino e sujeitos mais jovens tendem a transpirar mais. Uma resposta reduzida ou ausente é indicadora de uma desordem pós-ganglionar. Uma resposta normal não exclui um envolvimento pré- ganglionar. A transpiração excessiva e persistente também é considerada anormal. A comparação é feita entre os dois membros e uma assimetria superior a 25% é considerada anormal.