Análise Da Velocidade Da Onda De Pulso


A onda de pulso é um fenómeno fisiológico que pode ser observado e medido no sistema arterial durante a circulação sanguínea. Durante uma sístole cardíaca um certo volume de sangue é expelido. Este progride nas artérias devido a uma transformação recíproca entre a energia cinética de um segmento do volume de sangue expelido e a energia potencial de um segmento da parede do vaso distendido. Alterações de pressão, fluxo sanguíneo, velocidade e perfil podem ser observadas ao longo da onda de pulso. Pode ser usada para classificar a elasticidade da artéria.



A análise da velocidade da onda de pulso é um clássico índice de rigidez aórtica e um elemento de precisão de mortalidade cardiovascular em casos de hipertensão. Uma vez que a velocidade da onda de pulso é dominantemente influenciada pela idade, este achado pode ser de importância extrema na avaliação de risco cardiovascular em idosos.

A velocidade de pulso aórtica é, hoje em dia, considerada como um marcador de risco cardiovascular independentemente do nível de pressão sanguínea, mas em conjunto com a frequência cardíaca. Uma vez que a velocidade da onda de pulso aumenta, especialmente nos idosos, esta análise pode ser considerada importante na população geriátrica.



S - Starting point
Ponto de partida da onda de pulso arterial. A válvula aórtica abre e o sangue é descarregado do ventrículo esquerdo.

P - Percussion wave
Onda causada pela ejecção do ventrículo esquerdo que aumenta a parede arterial do vaso.

T - Tidal wave
Onda reflectida da artéria pequena.

C - Incisura
Ponto final da fase sistólica, depois a válvula aórtica fecha.

D - Dicrotic wave
Onda oscilatória reflectida que ocorre devido à colisão da pressão aórtica com a válvula aórtica.



Detecção precoce de:
1- Hipertensão
2- Aterosclerose (endurecimento arterial)
3- Estado da circulação sanguínea
4- Idade relativa (biológica) dos vasos sanguíneos
5- Distúrbios de vasos menores não detectados medindo a pressão arterial com uma manga.

Avaliação precoce de:
1- Saúde cardiovascular
2- Gestão da progressão da doença
3- Monitorização do efeito dos medicamentos, terapias, mudanças de estilo de vida e hábitos alimentares.

Análises da velocidade da onda de pulso - índices de rigidez arterial (EEI, DDI e DEI) podem permitir ao profissional de saúde uma antecipação do tratamento adequado previamente ao aparecimento de sinais clínicos ou sintomas.

A idade e a pressão sistólica correlacionam-se fortemente com a velocidade da onda de pulso. De facto, a idade é o factor que mais contribui para o aumento da velocidade da onda de pulso devido ao aumento da rigidez arterial causada por calcificação e perda de elasticidade. Alguns estudos sugerem que o aumento da velocidade da onda de pulso pode ser um indicador precoce do desenvolvimento de aterosclerose (como diabetes); outros estudos não mostram diferença significativa na velocidade da onda de pulso com a idade em indivíduos com elevado risco de aterosclerose, como hipercolesterolemia familiar. No entanto, tem havido uma associação quantitativa entre o processo de aterosclerose e a rigidez arterial; estudos da velocidade da onda de pulso sugerem que a hipotensão contribui mais do que a aterosclerose para o aumento da rigidez arterial com a idade.

Danificação de artérias grandes é um dos factores principais a contribuir para a elevada morbilidade e mortalidade observada em factos de risco cardiovasculares tais como a hipertensão. Uma distensibilidade arterial reduzida contribui para uma elevação desproporcional da pressão sistólica e um aumento de pulso arterial, que se demonstrou estar associada a um aumento de morbilidade e mortalidade cardiovascular. A análise da onda de pulso fornece informação acerca da rigidez e distensibilidade das artérias. A medição da velocidade da onda de pulso é útil no estudo dos efeitos do envelhecimento, doenças vasculares, agentes vasodilatadores e vasoconstritores das artérias.

Uma compliance arterial diminuída em artérias não ocluídas tem sido observada em pacientes com doença coronária e em pacientes com diabetes mellitus. A aterosclerose torna a parede arterial mais espessa e rija e estreita o lúmen arterial.

O aumento da falta de flexibilidade da parede arterial aumenta a VOP porque uma parede inflexível não pode acumular a energia da pressão sanguínea.

A condição das artérias principais é a chave para uma melhor prevenção e diagnóstico de patologia cardiovascular. Particularmente, a rigidez das artérias principais é um forte indicador de potenciais problemas de saúde incluindo enfartes, insuficiência cardíaca, diabetes e complicações renais. Apesar de a pressão sanguínea ser um indicador principal de hipertensão não nos dá um cenário completo. Durante o teste, a pressão de pulso induzida por barorreflexo altera as propriedades elásticas da parede arterial e induz o seu movimento. O efeito barorreceptor pode ser medido através da medição do movimento da parede arterial.

A medição da velocidade da onda de pulso do VitalScan é uma parte da análise da FVC que actua como uma forma conveniente e complementar para quantificar a rigidez das artérias principais. VitalScan - análise da onda de pulso - procedimento de quatro minutos durante o repouso, é uma medição custo-eficiente, não invasiva e complementar que indica o estado de saúde relativa das artérias principais. Serve também para monitorizar os efeitos de qualquer terapia, tratamento ou alterações alimentares actuais.

Controlar factores de risco através de uma detecção precoce de anomalias da função da parede arterial.
- Identificar aterosclerose e envelhecimento arterial.
- Monitorizar o efeito do tratamento em pacientes com hipertensão e outras doenças cardiovasculares.
- Avaliar a eficácia de medicações e alterações do estilo de vida prescritas.